Confederação Maçônica repudia atentado contra Bolsonaro

A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), que congrega as 27 Grandes Lojas Maçônicas do País, nos Estados e no Distrito Federal, volta o seu pensamento a Deus, para que o Grande Arquiteto do Universo dirija as Suas Luzes ao pronto restabelecimento da saúde do cidadão Jair Messias Bolsonaro, deputado federal e candidato à Presidência da República. No plano terreno, neste momento difícil, a CMSB manifesta o seu mais veemente repúdio à violência sofrida pelo candidato, vítima de intolerável e condenável atentado a faca, nesta quinta-feira, dia 6 de setembro, em Juiz de Fora-MG.

A mancha que tingiu de sangue a campanha eleitoral, decorrente do covarde ato contra o candidato Bolsonaro, conforme as notícias das primeiras horas do infausto crime, tem indício de que foi um ato isolado perpetrado por um indivíduo desqualificado. Que assim seja! Do contrário, estaremos diante de grave ameaça às liberdades individuais e políticas, além de ferir o próprio Estado de Direito, a Democracia, enfim. A nossa Instituição, porém, estará permanentemente de vigília para combater quaisquer ameaças nesse sentido.

Os maçons, pela CMSB, estão estarrecidos diante do que se presencia neste momento, visto que não há notícias, nas últimas gerações, de violência de tamanha gravidade, tanto de ordem pessoal quanto institucional contra um candidato à Presidência. O triste e lamentável episódio enluta, pois, a todos aqueles que têm na tolerância um modo de vida, razão pela qual propugnam por uma apuração e punição justa ao responsável pelo crime de Juiz de Fora. Aliás, é motivo de confiança e de respeito o trabalho da Polícia Federal que já abriu inquérito para apurar toda a dimensão do atentado.

A propósito há indícios jornalísticos de que a pessoa apontada como autora do crime, ainda que em algum tempo tenha sido filiada a partido político de esquerda, agiu sozinha, sem mentor intelectual ou em representação de alguma agremiação. A Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, o acusado que está preso, são atribuídas críticas contra a Maçonaria. Quanto a isso, se de fato elas foram emitidas, temos que trata-se de um tipo de manifestação própria daqueles que ignoram os verdadeiros ensinamentos da nossa Sublime Instituição.

É certo, porém, o que reafirmamos: Os maçons, irmanados na Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, estão tristes, mas confiantes na recuperação física de uma figura humana de visibilidade à Nação, bem como estão firmes em seus princípios à espera de justiça e de punição ao desvairado autor do atentado contra um candidato a presidente do nosso País.


JORDÃO ABREU DA SILVA JÚNIOR – PGM

Secretário-Geral da C.M.S.B.