Irmanada, Maçonaria defende um governo livre da corrupção



É chegada a hora! As eleições federais, estaduais e distritais estão presentes no cotidiano brasileiro. Os votos serão recolhidos em outubro próximo. As entidades representativas da Maçonaria, sempre integradas à vida nacional, juntas, propugnam pelas mudanças necessárias para uma existência sadia do País. A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), que congrega as Grandes Lojas das unidades da federação, a Confederação Maçônica do Brasil (COMAB), que congrega os Grandes Orientes independentes nos Estados, e o Grande Oriente do Brasil (GOB), irmanadas em Aracaju (SE), nos dias 21 e 22 de julho de 2018, alinharam ação no contexto da “Reage Brasil”, campanha que visa uma Nação livre da corrupção.

A campanha defende a participação cidadã no processo eleitoral como arma poderosa para realinhar o Brasil, afastando os maus políticos e os seus maus agentes privados dos núcleos decisórios da vida pública. Para tanto, o voto do eleitor deve ser consciente de modo que ele saiba distinguir o mau candidato e de suas ligações maléficas daqueles que, verdadeiramente, querem servir à causa nacional.

A composição dos Legislativos e dos Executivos, pois, deve contar somente com elementos éticos e honestos. Afinal, os eleitos serão os guardiões das urnas, com aval para as mudanças necessárias. O desafio para os maçons nesse sentido é fazer com que o eleitor seja coerente com ele mesmo. É corrente, na mídia e nas redes sociais, o desejo da população de varrer a corrupção encalacrada em vários graus do Poder da Nação. É também anseio a criação de empregos, o respeito ao ambiente natural, a saúde, a educação, a segurança. Todavia, é preciso que essas pessoas, investidas como eleitoras, saibam que o País estará nas mãos delas em outubro.

Separar o joio do trigo será a grande obra da sabedoria popular, mandando para casa os maus, que, reconhecidos corruptos e de maus costumes, tanta desgraça impõem ao povo brasileiro. Como as leis ou mesmo as mudanças constitucionais dependem dos parlamentos, a sociedade precisa entender que, para alterar alguma coisa positivamente, ela tem que saber escolher o candidato quanto as suas qualidade, capacidade, sinceridade, honradez, ética, moral. Claro, a escolha do ponto de vista da ideologia política é intocável, visto que isso é precípuo de cada cidadão.

A sociedade é portadora, pois, da arma mais poderosa para um novo rumo: O voto. “O voto é o resgate do País em nossas mãos”, propugna a campanha “Reage Brasil”, que conclama os maçons a atuarem nesse sentido para a escolha de um novo governo composto por agentes que, de fato e sinceramente, tenham o propósito de servir ao País e não por ele serem servidos.

É com essa disposição que as entidades da Maçonaria - CMSB, COMAB e GOB - se propõem a caminhar nos bons caminhos com as Grandes Lojas, com os Grandes Orientes e com o GOB, bem como junto às Lojas Maçônicas a elas jurisdicionadas, para um governo nacional capaz e honesto a partir de janeiro de 2019. Para instrumentalizar o andar dessa caminhada, as entidades deverão incentivar a circulação dos passos idealizados pela “Reage Brasil”, cujo conteúdo pode ser acessado não só pelos maçons, mas também pela população em geral nos diversos meios de comunicação da Maçonaria brasileira. Que cada maçom seja um protagonista!